Torne-se um seguidor deste blog!

Se
você não pode visitar a APAE pessoalmente, visite pela internet: Não perca a oportunidade de conhecer esse belíssimo trabalho!

A pessoa com deficiência quebra a cultura da indiferença. Tenha coragem de ser diferente.


Mural de fotos - Nossos Queridos Alunos







Breve postarei mais fotos

Porque ler histórias para crianças ?

Em primeiro lugar porque isto lhe dá prazer. Elas também aprendem, com as histórias, outras culturas, conhecem seus valores, modo se ser e viver.

E, quando uma criança pede repetidamente que conte uma história, provavelmente, encontre nos fatos narrados, acontecimentos que se relacionam com sua vida, seus medos, seus desejos.

Na escuta da história e "causos", as crianças também aprendem a separarem o que az parte da realidade e o que é ordem do imaginário. E, nesse sentido, desenvolvem a imaginação, inventam e sabem que no mundo do "faz de conta" tudo é possível. Com isso vão entendendo, ainda que da forma sutil, a passagem do tempo, a idéia de passado, de memória.

Muitos estudos mostram que o adulto tem papel fundamental para que a criança coloque a leitura e escrita como foco de atenção. É a companhia de um adulto que a atrai para folhear um livrinho, imaginar cenas de uma história, perguntar o que está escrito ou prestar atenção à narrativa lida.

Por isso, é importante que as criança possam vivenciar a escuta de historinhas interagindo com um adulto. Nesses momentos, o adulto lê alguns trechos, conta outros, dramatiza a voz de alguns personagens, chama a atenção para a ilustração. Nessa situação faz vários jogos verbais: Cadê o porquinho ? Quem é este daqui ? O que a menina esta fazendo ? Como a mãe az quando está brava ?

Essa prática possibilita que a criança passe de papel de ouvinte participante para o de leitor. Aos poucos será capaz de ocupar esse lugar, apoiando-se na ilustração, na memória e na colaboração de alguém mais experiente.

DICAS PARA CONTAR HISTÓRIAS
  1. Encontre um espaço aconchegante, inusitado: um sofá, a sombra de uma árvore, um pequeno tapete, os primeiros degraus de uma escada.
  2. Assuma o lugar de leitor e a alegria de dividir narrativas com as crianças.
  3. Escolha sempre histórias que te encantam. É preciso gostar do que se lê, pois só assim é possível contagiar o ouvinte com nossas histórias e narrativas.
  4. Dê vida às histórias: perceba o ritmo, escolha a entonação adequada, use todo seu corpo para dar vida ao enredo.
  5. Envolva o ouvinte, fisgando-o pelo olhar e convidando-o a participação. Ele deve mergulhar na aventura, se surpreender com o que acontece, tentar imaginar o que está por vir.
  6. Lembre-se de que a experiência com a escuta deve começar e terminar como a própria narrativa. Não busque explicações, justificativas, pretextos. A história precisa se bastar: a experiência se conclui com o desfecho do enredo.
  7. Tenha em mente que a leitura de um texto não se esgota em uma primeira leitura. Cada vez que voltamos a uma história, descobrimos detalhes, novas possibilidades, outros entendimentos.

Fonte: Itaú


Luto

CONVIDAMOS TODAS AS APAES DE MINAS A SE UNIREM ÀS FAMÍLIAS DA APAE DE IPATINGA NESTE MOMENTO
18.10.2010

A equipe da Federaração do Estado ficou consternada com a notícia do acidente que envolveu 11 integrantes da Apae de Ipatinga no sábado à noite, quando retornavam dos Jogos do Interior de Minas (JIMI), onde representaram seu município. Neste acidente faleceram nove alunos da Apae, uma professora e um enfermeiro.

Enviamos nossos sinceros sentimentos aos familiares de todas as vítimas, a toda a equipe da Apae de Ipatinga e também aos familiares das outras vítimas que estavam no mesmo ônibus.


Pedimos que todas as Apaes do Estado estejam unidas neste momento. Nossa manifestação de sentimentos e orações poderá amenizar um pouco a emoção e a dor de uma perda tão drástica.

Em nome da Federação do Estado,

Sérgio Sampaio Bezerra

Presidente da Federação das Apaes do Estado de Minas Gerais

Projeto Comunique

Estamos disponibilizando a produção academica apresentada no Congresso de Autodefesoria e Autogestão em Uberlândia em agosto deste ano.
Apresentamos 5 posters referente a projetos desenvolvidos em nossa APAE.
Na proxima semana postarei outro banner com novos videos. Acompanhem!




Autogestão e Autodefensoria

Saudações a todos,

Esta semana estamos postando dois videos sobre autogestão e autodefensoria. Encontra-se para download a Carta de Uberlandia elaborada por pais,alunos e profissinais no Forum Mineiro de Autodefensoria e Autogestão e Família e XICongresso da Rede Mineira das APAES. Vale conferir este material para instrumentalizarmos na pratica da assistencia á pessoas com deficiências.
Assistam!

Parte 1




Parte 2







Carta de Uberlândia, 15 de agosto de 2010.

TEMA: Vida Afetiva e Sexual

Recomendações da Família:

• Os familiares necessitam do apoio da Apae para orientar os filhos com relação à
sexualidade.
• A família, junto com a Apae, deve orientar as pessoas com deficiência para evitar abusos
sexuais.
• A família deve apoiar os filhos com relação à vida afetiva.
Recomendações dos Autodefensores:
• As pessoas com deficiência querem ter o direito de namorar, casar e ter filhos.
• As pessoas com deficiência devem ser orientadas por profissionais da Apae e/ou da rede
parceira com o apoio e permissão da família.
• Os pais devem proporcionar autonomia e independência para os filhos.
• As pessoas com deficiência querem que os pais conversem sobre afetividade e
sexualidade com elas.
• As Apaes devem criar parcerias com profissionais especializados na área da sexualidade
para atender as pessoas com deficiência e suas famílias.
•As pessoas com deficiência querem mais oportunidades de trabalho para poderem fazer
escolhas e assumirem o casamento com responsabilidade e independência financeira.
• A orientação sexual deve começar na família.
Recomendações dos Profissionais:
• Solicitamos capacitação para orientar os pais e as pessoas com deficiência.
• Propomos trabalhar em conjunto com a família e com as pessoas com deficiência o
tema vida afetiva e sexualidade.

2

TEMA: Envelhecimento

Recomendações da Família:

• Criação de casas apoio, administradas pelas Apaes, com o apoio do poder público,
onde as pessoas com deficiência possam ser atendidas na fase de envelhecimento.
• O benefício de prestação continuada deve ser para todas as pessoas com deficiência,
independentemente da renda per capita familiar.
• As Apaes devem organizar serviços que promovam o envelhecimento saudável das
pessoas com deficiência.
• Criação de programas que contemplem as atividades funcionais, sociais e da vida
prática que promovam a autonomia.
Recomendações dos Autodefensores:
• As pessoas com deficiência querem autonomia e independência para terem melhor
qualidade de vida quando chegarem na fase de envelhecimento.
• As Apaes devem organizar serviços para as pessoas com deficiência em fase de
envelhecimento, serviços que incluam as famílias e que promovam atividades de
melhoria da qualidade de vida, com atividades físicas, laborais, orientações sobre dieta,
etc.
• As casas de apoio podem ser sustentadas também com o benefício de prestação
continuada dos moradores.
• Desde cedo, conscientizar a família de que quando a pessoa com deficiência
envelhecer, ela deve permanecer, preferencialmente, com a sua família.
Recomendação dos Profissionais:
• Os profissionais querem políticas públicas específicas para apoiar os programas
voltados para as pessoas com deficiência intelectual em fase de envelhecimento.

3

TEMA: Inclusão – na Família, na Escola, no Mundo do Trabalho

Recomendações da Família:

• As famílias devem receber mais informações sobre a deficiência de seus filhos para
melhor aceitação da deficiência e melhor conhecimento de seus direitos.
• Deve haver ações de informação e conscientização, que esclareçam sobre a
capacidade e a qualificação da pessoa com deficiência para o desempenho das
funções no trabalho.
• A família quer ter o direito de escolher encaminhar os seus filhos para a escola
comum ou especial.
Recomendações dos Autodefensores:
• Oportunidade de trabalho para as pessoas com deficiência dentro da própria
instituição Apae.
• As pessoas com deficiência devem ter oportunidade de trabalhar.
• Pessoas com deficiência querem o apoio da Apae e dos familiares para serem
verdadeiramente incluídas.
• As pessoas com deficiência querem ter o direito de escolher trabalhar ou não trabalhar
e querem o direito de ir para a escola comum ou para a escola especial.
Recomendações dos Profissionais:
• Os profissionais das Apaes, as pessoas com deficiência e os familiares em parceria
devem realizar ações de inclusão na sociedade de modo geral. É preciso apresentá-los
a sociedade, mostrar que são iguais em direitos.
• As Apaes devem promover orientação jurídica de como, quando e onde buscar os
direitos das pessoas com deficiência.

II Desfile da Primavera

A APAE de Conselheiro Lafaiete comemorou o início da Primavera no dia vinte e três de setembro, com a realização do segundo desfile para eleger o casal da primavera.

O desfile foi apresentado em duas categorias: Cadeirantes e não cadeirantes, a abertura foi com a apresentação dos alunos Lourdes, Jadson e Sandra, que cantaram “Como é grande o meu amor por você”, de Roberto Carlos e o “Jardim de belas flores”; em seguida o professor Jesus tocou várias músicas com o seu trombone de vara. Foi um sucesso a festa, os alunos estavam empolgados e todos os participantes receberam seus prêmios.

Houve o repasse da faixa e da coroa dos casais do ano passado, para os novos vencedores. O casal da categoria de cadeirantes que conquistou o primeiro lugar foi: Matheus e Louslene. Na categoria de não cadeirantes foi Carlos Magno e Mayara.

Agradecemos a colaboração de todos os funcionários e patrocinadores (Perfumaria Odete, Baratão dos Presentes, Boticário, Flora C´ele, Paraíso das Flores e Dona Flor) que contribuíram com seus brindes.

Idealizadores do projeto:

Vania- Pedagoga

Euglesses- Fonoaudióloga

Aline- Fonoaudióloga

















-Noticias-

Brevemente iremos postar as fotos do II Desfile de Primavera.


A APAE de Conselheiro Lafaiete recebeu no ultimo mês a visita de um grupo de profissionais da APAE de Itabirito e Ubá. No dia 01 de outubro uma delegação com 14 alunos de Itabirito juntamente com a Educadora Lucimar estiveram presente na APAE de Lafaiete para conhecer o funcionamento e produtos da Oficina BrilhAPAE(oficina profissionalizante de produtos de limpeza).
O caminho é esse!
Trocarmos experiencias e conhecimento em prol de fortalecermos os laços apaeano.
Um forte abraço a todos.

Essa semana estou postando um belissimo video sobre a inclusão social de pessoas com deficiência. Particulamente é um dos clipes mais bonito que eu ja tive a oportunidade de assistir.
Assistam e comentem




Fonte:youtube



Daniel Augusto- T.O

LOJAPAE

LOJAPAE

Total de visualizações de página

Assitam

Loading...